sexta-feira, 17 de junho de 2011

...

Enviuvou há uns meses. Esteve mal,não queria ninguém,chorava a toda a hora;conseguiram pô-la a tomar um anti-depressivo e volta e meia já sorri. Esta semana "deram-me" luz verde para lhe ligar; confesso que só hoje o consegui. Não me reconheceu logo, mas mal eu a tratei pelo diminutivo que os miúdos lhe deram,disse logo o meu nome. Notei-lhe a voz embargada e o discurso pouco firme ,até um pouco confuso. Os soluços tornaram-se mais fortes e pediu-me se podia ligar amanhã...não podia falar mais...não queria; mas ainda teve tempo de perguntar pela Joaninha e se os filhos já me tinham dado netos. Ainda se riu quando lhe disse que não, que eram preguiçosos. Aproveitei para lhe dizer que estava sempre ao lado dela,sempre e quando precisares. Entre soluços sussurrou um não duvides que preciso de certeza. E desligou.
E eu fiquei vazia por dentro e mais uma vez espero perceber estas "partidas" que a vida dá. Porque se há pessoas que merecem TUDO, ela é uma delas! E a vida só lhe tem tirado tudo...aos poucos, tão dolorosamente ,que revolta.

3 comentários:

Manuela disse...

Querida Anna^, as voltas da vida, são mesmo insondáveis. Porque é que este tipo de pessoas, têm de sofrer tanto? Questiono-me frequentemente...

MARIINHA disse...

Às vezes a vida para certas pessoas é mais que madrasta. Revolta, mas em certos casos nada podemos fazer, a não ser apoiar quando precisam de nós.

Bjs e bom fim de semana

Anna^ disse...

Tentar perceber estas "voltas" não é fácil e fica sempre um trago azedo a revolta...mas como dizes Mariinha,nestas alturas o importante é mantermo-nos ao lado de quem precisa tanto de nós.

Um beijinho para as duas e obrigado.