segunda-feira, 20 de junho de 2011

Bocadinhos de infância

Ao caminhar hoje pela praia, o vento que se fazia sentir, arrastava o odor a sargaço. Não que houvesse muito à vista, mas aquele cheiro fez-me regressar à minha infância: aos pães com tulicreme; às sandes de pastelão; aos pacotes de Ólha batatinha à ingleeessssaaa; às manhãs de Domingo, quando se almoçava na praia depois de o meu Pai chegar; aos sacos feitos de chita para guardar toalhas e brinquedos que ficavam à guarda do banheiro durante a semana.
E por breves instantes, lá estava a barraca na praia da "Emília Barbosa", onde se estendia um "liteiro"(espécie de tapete grosseiro)para quem se quisesse deitar sem se arriscar a levar com areia) e o meu pai se entretinha a ler o jornal.Revi o dia em que nos ensinou a "jogar ao prego".E à hora de regressar, aguardava-se a passagem da senhora das bolas de berlim...era o fim de um dia de praia.E àquela hora, era este o cheiro que eu sentia...o mesmo cheiro a sargaço...como hoje.
Como é que um simples cheiro, nos desperta tantas memórias?

5 comentários:

Manuela disse...

Querida Anna^, tal como tu, há cheiros que me remetem automaticamente para momentos passados, que eu nem me recordava.
Agora, com o teu post, reavivaste um: jogar ao prego, na praia :)

Raquel V. disse...

Era destes pois era, era destes assim... gosto de cheiros assim :)
O teu cantinho está MUITO catita!
:)*

Anna^ disse...

Sabes Manuela, este episódio de hoje ainda agora me vai trazendo bocadinhos de memórias...passei assim o dia todo, e dou comigo a sorrir e a pensar que era tão feliz e não sabia quanto!

Comprei um prego o ano passado numa feira regional :)

beijinho minha doce Manuela

Anna^ disse...

Raquel,
estes cheiros são únicos!
Obrigada pelo "catita" :)

beijoca

MARIINHA disse...

Olá Anna^,
Sabes que tenho presente e sei de cor, vários cheiros da minha infância, há muito tempo fiz um post a falar neles.
Quase sempre estão associados a épocas em que éramos muito mais despreocupados e felizes. Adoro certos cheiros, o cheiro a mar por exemplo, a terra molhada, o cheiro da alfazema nas gavetas. Um cheiro que nunca mais tive, julgo que o nome dessas maçãs era "maçãs de espelho" que a minha avó tinha em casa, no tempo delas. Era um ambientador natural. A casa ficava com um cheiro inconfundível, está por isso associado à casa da minha avó materna.

Beijinhos e tem uma noite feliz.